tarde chuvosa

IMG_7965

Hoje terminei o trabalho cedo. Enquanto chove lá fora, vim para a cozinha comer uma cuca, tomar chá e ler (digo, ver fotinhos em) blogs.

Atividade mais feliz com a minha nova caneca (que veio substituir a de vaquinha que tem sete anos e está rachada há uns três):

IMG_7969 IMG_7970

Anúncios

a arte do aproveitamento

IMG_7954

Desde que comecei a trabalhar no livro de memórias do meu avô, na semana passada, estou morando em Rio do Sul com meus pais. Este fim de semana meu pai ficou preso em Joinville (desde quinta!) e minha mãe e eu resolvemos reaproveitar os conteúdos da geladeira… que são MUITOS.

Ontem, foi uma salada pra acompanhar um resto de empadão de frango. Aqui tem uma horta com alface fresquinha, assim é fácil comer salada ♥

IMG_7911

Tínhamos tomate cereja, cenoura e nabo. Temperei os tomatinhos com sal, orégano e azeite.

IMG_7917

Aí à noite minha mãe tirou um filé mignon do freezer para fazer hoje. Ela queria fazer molho de mostarda, mas lembrei que tinha um gorgonzola prestes a estragar na geladeira. Então fiz um molho com creme de leite e aproveitei um resto de espaguete, os últimos tomates cereja, e uma cabeça de couve-flor.

Para o espaguete, fiz a couve-flor no forno (como nessa receita aqui), com o alho picadinho em vez de inteiro e alho poró também na fôrma. Não tinha tomilho, mas na hortinha tinha alecrim. Depois de 20 minutos no forno, joguei os tomates (inteiros, temperados com sal e azeite) lá dentro também. Cozinhei o espaguete, escorri, e depois joguei todos os conteúdos da fôrma (inclusive o excesso de azeite no fundo) junto na panela.

O bife, minha mãe temperou com sal, pimenta do reino, aceto balsâmico e azeite de oliva, e fritou na manteiga. Eu fiz o molho com uma lata de creme de leite, mais ou menos 1/4 de xícara de leite e um pedaço de umas 200g de gorgonzola picado. Cozinhei no fogo baixo até o queijo derreter. Experimentei e precisava de uma pitadinha de sal (bem pouquinho, porque o queijo lá é salgado). Coloquei por cima do bife e o almoço estava pronto!

E agora ainda temos a cuca que fizemos com a minha avó ontem para o café da tarde e o arroz doce da minha mãe de sobremesa. Nham.

IMG_7952

 

P.s.: Pai, guardamos almoço pro pai também…

pizza com amor

IMG_7684

Essa última semana a cozinha foi movimentada. Eu estava tendo um revival de roomie-ry (expressão inventada hoje) com a Adriana ♥, e depois de gastar um bocado nos restaurantes da cidade, decidimos fazer comidinhas em casa. Na quarta-feira recebemos amiguinhos da turma 2006.1 do jornalismo da UFSC pra uma jantinha (: (má, escrevi essa frase e quando li percebi a quantidade de diminutivos. droga). Tava frio, e depois de dormir o dia todo fomos no mercado comprar os ingredientes para fazer pizza!

Adriana ficou responsável pela massa, eu pelo molho. A receita é da minha mãe (na versão rápida/fácil da massa), e pra mim o segredo é o molho com MUITO alho. Fizemos coberturas de abobrinha, pepperoni, margherita e portuguesa. E de banana com doce de leite, nham. Ah, e fizemos a massa com leite de baixa lactose (10%) e parte da pizza com queijo de leite de ovelha (sem lactose). Mas só achei pecorino, que é um queijo bem salgado, tipo parmesão, que não é o ideal.

Massa de pizza

Ingredientes

2 xícaras de farinha de trigo (já fiz metade farinha branca e metade integral, ficou bom)

1/2 colher de chá de sal

1 colher de sopa de fermento

2 colheres de sopa de óleo

3/4 de xícara de leite (a receita diz uma xícara, mas minha mãe confessou que sempre coloca um pouco menos)

Preparo

Pré-aquecer o forno a 200°C. Em uma tigela, misturar os ingredientes sólidos. Adicionar o óleo e o leite e amassar com as mãos. Ela fica macia, mas não mole, e não deve ficar grudenta. Em uma fôrma untada, espalhar a massa com os dedos. Tem que espalhar bem, cuidando pra manter a mesma espessura em todas partes da fôrma. Dependendo da espessura que você quer, dá para abrir em uma fôrma de 25 ou até 40 cm de diâmetro.

Colocar no forno para pré-assar. Isso leva uns 10 minutos. Depois de espalhar o recheio, assa por mais 25.

Molho de pizza

Ingredientes

azeite

1/2 cabeça de alho, mais ou menos? acho que é por aí

1 lata de tomate pelado (sempre recorro a ele…)

açúcar

sal

orégano

Modo de preparo

Picar o alho bem pequenininho. Eu fatio ele longitunalmente (em 2 ou 3 fatias, dependendo do tamanho do dente), depois em tirinhas e finalmente em micro pedaços. A Má tem uma técnica revolucionária que é mais ágil, e que eu testei uma vez e não deu certo – preciso de prática.

Aquecer o azeite, suficiente para cobrir o fundo da panela, e fritar o alho até ele começar a dourar. Juntar o tomate pelado e desmanchar os tomates com a colher. Juntar uma ou duas colheres de açúcar para cortar a acidez, tampar e deixar cozinhar… até o tomate desmanchar bem. Temperar com sal e orégano.

Coberturas

Pepperoni: é só espalhar mussarela e pedacinhos de pepperoni, done! Mas minha mãe costumar fazer uma que ela refoga pimentões, tomate e cebola com o pepperoni… fica muito bom.

Abobrinha: fatiar a abobrinha e espalhar por cima da mussarela (eu coloco bastante, sobrepondo umas às outras como se fossem escamas. ou telhas). Coloco um pouco de alho picado, orégano e azeite por cima antes de assar.

Margherita: mussarela, tomate fatiado e manjericão. O toque foi o alho, orégano e azeite em cima dos tomates.

Portuguesa: fatias de presunto cobrem a mussarela. Por cima, cebola em tiras, ovo cozido (por 10 minutos) fatiado, azeitonas e orégano. Um azeitinho e um pouco de sal em cima das fatias de ovo é uma boa.

Banana com doce de leite: o molho é o doce de leite, o que já é promissor. por cima, banana em rodelas e canela ♥

Mas de tudo isso, o mais gostoso foi a companhia (:

IMG_7685

cauliflower lovin’

risoto de couve flor

Eu adoro o nome da couve-flor em inglês – cauliflower. Eu também adoro couve-flor. E o english-speaking world também, aparentemente, porque rola um monte de couve-flor no Pinterest. Esses tempos eu fiz uma receita de sopa de couve-flor assada (“roasted” é outra ótima palavra) e o que eu mais gostei é de como a couve-flor fica gostosa tostadinha no forno (e como ela combina com pimenta calabresa). Dá para servir só assim como acompanhamento. Mas hoje decidi aproveitar uma que tinha na geladeira pra fazer um risoto. Foi um dos melhores que eu já fiz.

Ah! e eu não tinha manteiga nem parmesão em casa, então ele ficou 100% sem lactose. E é vegan também! E acho que não tem glúten…

Risoto de couve-flor e alho assados (para 2 pessoas)

Ingredientes

1 xícara de arroz arbóreo

cebola e alho-poró picados

1/2 xícara de vinho branco

caldo de legumes

1/2 couve-flor

6 dentes de alho grandes

ramos de tomilho

azeite de oliva

sal

pimenta calabresa

Preparo

Pré-aqueça o forno em fogo médio. Corte a couve-flor em arvorezinhas pequenas e espalhe em uma fôrma. Descasque os dentes de alho e espalhe eles inteiros na fôrma também. Tempere com sal, um pouco de pimenta calabresa (não muito! be careful), espalhe alguns ramos de tomilho e regue com azeite de oliva. Coloque no forno por cerca de 40 minutos.

Enquanto isso ferva o caldo de legumes (o risoto é mais rápido que o cozimento da couve-flor, então dá pra começar quando ela estiver na metade). Em uma panela aqueça um pouco de azeite e frite a cebola e alho poró. Adicione o arroz árboreo e frite mais um pouco. Adicione o vinho branco e deixe o álcool evaporar. Comece a adicionar o caldo, uma concha de cada vez, mexendo sempre. Adicione mais uma concha só depois que a anterior tenha sido absorvida. Isso leva entre 16 e 17 minutos, segundo o Jamie Oliver. Eu nunca contei. Quando o arroz estiver al dente, desligar o fogo.

Tire a couve-flor do forno. Separe os dentes de alho e amasse em um espremedor de alho, misturando com o risoto. Tire os ramos de tomilho da fôrma e adicione o resto no risoto (inclusive aquele azeite do fundo com a pimentinha, nham). Eu guardei algumas arvorezinhas pra decorar. É nessa fase que você pode adicionar também manteiga e parmesão, se seguir uma receita tradicional de risoto. Tampe a panela e deixe descansar por dois minutos. Voilà! Servi com alguns floquinhos extra de pimenta.

pepperoni além da pizza

penne com pepperoni, nov/12

penne com pepperoni

Essa receita foi a primeira que testei de um livrinho de pasta, que tem várias ideias pra não fazer só aquele mesmo macarrão de sempre. Eu, particularmente, costumo estar condicionada ao que tem na geladeira (tinha uma época que rolaram uns molhos meio mediterrâneos com tomate, ricota, alcaparras ou azeitonas e linguiça. fica bom). Mas é aí que essa receita aconteceu, porque eu tinha no freezer um pedaço de pepperoni que meus pais trouxeram dos EUA (na lista de compras deles, junto com eletrônicos e roupas de outlet, sempre tem um salame de pepperoni). É fácil, gostoso, e bom pra levar na marmitinha pro trabalho. E eu, pelo menos, adoro pepperoni.

Ingredientes

Azeite de oliva

1 cebola picada

1 pimentão vermelho e 1 amarelo, sem as sementes, picados

1 lata de tomate pelado

1 colher de sopa de pasta de tomate seco (nunca tive isso e nunca coloquei…)

1 colher de sopa de páprica

200g de pepperoni em fatias

salsa picada

450g de penne

sal e pimenta

* eu nunca prestei atenção nas quantidades… porque faço pra uma pessoa só. mas essa é a receita para 4.

Preparo

Em uma frigideira grande/funda ou em uma panela, refogar a cebola no azeite. Quando estiver macia, depois de uns cinco minutos, adicionar os pimentões. Eu deixo eles fritarem um tempo também. Depois adiciona os tomates pelados (veio um “vestido” na minha latinha, veja só), a tal pasta de tomate seco e a páprica (eu uso a picante e coloco bastante…). Eu desmancho os tomates na panela mesmo, com a colher. E coloco uma colher de açúcar para tirar a acidez, e aí tempero com sal.

Depois adiciona o pepperoni e a salsa e é só deixar apurar um pouco (10, 15 minutos). Enquanto isso o macarrão vai pra água. Depois de escorrido, jogo ele na panela com o molho e misturo. Um parmesãozinho no prato and it’s ready to go (;