banoffee e george harrison

banoffee

Meu fim de semana teve dois pontos altos, simultâneos: essa torta banoffee e assistir o Living in the Material World. Não digo que ambos são igualmente apaixonantes porque a minha torta perde de muito longe pro George Harrison. Mas quem não perde, né?

A receita que me baseei é essa aqui.

Ingredientes

1 lata de leite condensado

meio pacote de bolacha maisena

100g de manteiga em temperatura ambiente

umas 4 bananas (maduras, mas ainda firmes)

1 pote de creme de leite fresco gelado

4 colheres de açúcar

um pedacinho de chocolate

Preparo

No dia anterior, de preferência, cozinhe o doce de leite. A receita que peguei indica duas horas e meia de cozimento, em uma panela grande, cobrindo toda a lata com água at all times. Achei na internet que na panela de pressão é 30 minutos. A minha panela de pressão vaza, então não posso confirmar esses tempos. O meu não ficou bem escurinho, mas eu gosto de doce de leite meio cru mesmo. Deixei esfriar beeem antes de abrir, para evitar acidentes.

Também dá para fazer a massa um dia antes. Triture as bolachas e com as mãos incorpore a manteiga. Espalhe em uma fôrma de torta apertando com os dedos e asse a 180°C por 10 minutos. Guarde na geladeira. (eu fiz na hora e montei a torta com a massa ainda quente… ninguém morreu)

Agora o chantilly. Pra mim ele sempre foi um mistério. Não faço ideia de quanto tempo tem que bater, quando está pronto (a pressão de que se bater demais vira manteiga sempre me paralisa). Mas deu certo, eu acho. Minha técnica foi “coloque o creme de leite bem gelado e o açúcar na batedeira e siga seu instinto”. Na receita diz pra bater até formar picos, diminuir a velocidade e bater mais até os picos ficarem maiores. Não me ajudou muito.

Para montar a torta, corte as bananas na metade longitudinalmente (uau) e cubra toda a massa com elas. Espalhe o doce de leite por cima, depois o chantilly. Por último rale um pouco de chocolate por cima.

Guarde na geladeira de preferência por várias horas. Eu obviamente resisti apenas uma, mais ou menos, e depois que cortei o doce de leite ainda se esparramou, etc. No dia seguinte ela ficou bem mais inteirinha.

Confissão: não sei fazer o símbolo de graus no meu computador e toda vez procuro no google pra copiar. 

crrrêpes

crepe de nutella

Minha fonte de alegria nesses dias de frio e trabalho em Florianópolis foram esses crepes.

Ingredientes

1 ovo

300 ml de leite

115 g de farinha de trigo

1 pitada de sal

manteiga para fritar

nutella

banana, se tiver fica ♥

Preparo

Bater o leite, ovo, trigo e sal no liquidificador. Vai ficar uma massa bem líquida. Fritar camadas finas da massa com a manteiga em uma frigideira grande. Quando virar e o lado de baixo estiver quase dourando, espalhar a nutella (e fatias de banana, se quiser) na metade do crepe. Dobrar na metade e depois em 1/4.

Essa receita deu 6 crepes de uns 25 cm de diâmetro. Fritei todos e guardei alguns sem recheio na geladeira. Depois só coloquei na frigideira para esquentar e coloquei o recheio.

da infância

cachorro-quente

Quando eu fiz 18 anos, pedi pra minha mãe fazer um panelaço de molho de cachorro-quente pra minha festinha de aniversário no apartamento novo, em Floripa – onde eu moro até hoje. É só tomate e cebola com salsicha no pão, sem frescuras, do jeito que ela fazia pras festinhas de criança quando éramos pequenos.

Essa semana pedi a receita, porque fiquei de levar molho de cachorro-quente para o café de são joão (atrasado) do jornal. Fui no mercado às 20h do dia anterior, então rolou uma versão preguiça (com tomate pelado enlatado no lugar de tomates frescos):

Ingredientes

3 cebolas pequenas ou 1 e 1/2 grande

3 latas de tomate pelado

açúcar

sal

2 Colheres de mostarda amarela

1 pacote de salsichas

Modo de preparo

Primeiro lavei as salsichas e coloquei para ferver. Fiz picadinhas para ficar mais fácil de servir, mas o original da minha mãe é com mini-salsichas do tamanho do pãozinho <3. Escorri e reservei.

Piquei a cebola no processador de alimentos, no clima de preguiça. Refoguei elas no azeite até ficarem macias e soltarem um cheirinho gostoso. Adicionei as 3 latas de tomate pelado e amassei os tomates com um instrumento estranho (usei um batedor de ovos de plástico). Coloquei umas boas pitadas de açúcar pra tirar a acidez e deixei apurar. Temperei com sal e deixei apurar mais. Ficou um tempão no fogo. Quase no fim misturei a mostarda e adicionei as salsichas. That’s it!

No fim não tive nem paciência de tirar uma foto decente. Sorry, gente. Preguiça é foda.