chicken mac&cheese

Vou dar uma de Jamie Oliver e fazer um passo-a-passo aqui.

Outra coisa que não parei pra fazer no meu aniversário foi tirar fotos. Tem meia dúzia da mesa, metade tremidas.

Penne com frango grelhado ao molho quatro queijos

0. No dia anterior, preferencialmente, corte meio quilo de peito de frango (to chutando aqui. Acho que fizemos um quilo e deu MUITO frango) em filés bem fininhos e tempere com Arisco (tempero pronto). Ou sal e pimenta, se você é bem basic. Eu adoro tempero…

1. Esquente um grill elétrico (know your grill, you’re on your own here) ou, o que eu usei, uma frigideira de teflon com bem pouquinho óleo. Coloque os filés de frango para grelhar – não muitos de uma vez só para não criar água. Deixe ele fritar bastante sem virar, você vai ver a carne em cima ficando branquinha, para garantir que não vai ficar mal passado por dentro. Com a espátula dê uma espiadinha como ele está por baixo – quando estiver bem douradinho, vire e deixe dourar o outro lado. Paciência nessa parte… demora um pouco.

2. Corte os filés de frango em tirinhas curtas de aproximadamente 1,5cm de largura. O passo anterior pode ser feito com bastante antecedência, o frango frio é inclusive mais fácil de cortar. Reserve as tirinhas.

3. Rale queijos parmesão, provolone, prato e mussarela no ralo grosso. A quantidade é no olho, depende de quanto queijo você quer no seu molho. Eu recomendo bastante. Só cuidado para não exagerar com o parmesão e especialmente o provolone, que tendem a ser bem salgados. (Também pode ser feito com antecedência e guardado na geladeira)

4. Coloque uma panela de água para ferver e pré-aqueça o forno.

5. Prepare um molho branco bem encorpado (se você não sabe fazer molho branco, shame on you, aprenda!).

6. Coloque os queijos no liquidificador com um leite suficiente para ajudar a bater. Adicione a mistura no molho branco e mantenha no fogo, mexendo até derreter os queijos e apurar o molho. Nesse ponto eu acrescentei também um pouco de gorgonzola picado – só pra dar um gostinho. Não faça um molho muito grosso, pois ele ainda vai secar no forno. Reserve.

7. Cozinhe um pacote de penne de acordo com as instruções do pacote. Quando estiver al dente, escorra.

8. Espalhe uma fina camada de molho no fundo de um refratário grande. Coloque uma camada de macarrão e cubra com molho. Faça isso quantas vezes for necessário para garantir que o molho se misture com todo o macarrão – provavelmente não serão muitas. Umas três ou quatro, num prato fundo como o da foto. Na metade do processo, coloque metade das tiras de frango espalhadas sobre o prato e continue cobrindo com as camadas. Na última, espalhe a outra metade do frango e cubra com o restante do molho.

9. Cubra o prato com parmesão ralado fino (bastante!) e coloque no forno quente para gratinar. Não coloque no forno frio, para não secar muito (dica do meu pai).

Taran! There you go.

“it’s my birthday!”

…. é o que eu postaria ontem, se tivesse tempo.

Foi acordar, arrumar a mesa, trabalhar, almoçar, preparar ingredientes, trabalhar, cozinhar, tomar banho, cozinhar, receber guests, dormir. Cheguei à conclusão de que para manter um blog for real você às vezes tem que escolher blogar acima de viver. Sorry, I won’t make that choice.

Bom, com a cidade coberta de lama e os lugares ainda se reestabelecendo os planos de sair com amigos não era mais viável. Eis que trouxemos o restaurante para dentro de casa! Eu sempre quis fazer uma dinner party, com mesa posta, vinho e coisas gostosas.

Cardápio:

Risoto ao funghi (créditos da receita à Fernanda Dutra)
Penne com frango grelhado ao molho quatro queijos (crédito da ideia ao restaurante La Fiorentina em Rio do Sul, molho da minha mãe. Vou chamar essa receita de chicken mac&cheese, mas neste contexto vou deixar o outro nome que é mais chique)
Torta de limão (a ideia era encomendar um bolo do La Fiorentina, mas isso não foi possível. Então em vez de bolo, rolou uma torta de aniversário! Gostoso e fácil de fazer)

meus guardanapos!

servindo a família

faíscas!

Hora de ir trabalhar, à noite tem mais. (sorry, sono)

Do you fancy some…

…cuteness?

well, here you go!

Descobri, onde mais, na appstore – a fonte de novidades cool do mundo digital (pra mim, pelo menos. I ♥ apps). Baixei o app, que é fofinho, e comecei a explorar a categoria (trmmmmm, drum roll) …Food. Nem explorei as outras ainda, saí curtindo tudo e já achei duas receitas lindas que quero testar (pra ver se também são gostosas).

Então visite, curta, siga o accomplished no fancy!

Mas, seriously, how cute are these?

clique nas imagens para ver no site

fan·cy  (fns)

n. pl. fan·cies

3. A capricious notion; a whim.
4. A capricious liking or inclination.
5. Critical sensibility; taste.
6. Amorous or romantic attachment; love.

tr.v. fan·ciedfan·cy·ingfan·cies

2. To take a fancy to; like.
(meus sentidos favoritos da palavra fancy, a qual adoro, mais usados pelos britânicos. “Chique” na Inglaterra é smart. Love it.)

Give it away!

Pra quem é uma “acumuladora”, como diz o meu pai (vide programa do Discovery Home&Helth), isso não é um comportamento típico… mas eu adoro fazer limpa no guarda-roupas e ver as montanhas de roupas que não uso mais se acumulando no chão.

Claro que rolam aqueles momentos “mas é tão bonitinho, mas fulano me deu, mas eu trouxe de tal lugar, mas eu ainda vou usar” e algumas coisas ficam, mas na próxima limpa elas se vão. E não há um calendário pra fazer isso, faço com frequência e sempre que dá vontade.

Mas eis que agora é um bom momento: tem gente precisando mais que nunca. Com as enchentes em Rio do Sul (e em todo o Vale do Itajaí), o que saiu da última faxina já ganhou destino. Quem está perto de algum abrigo pode doar diretamente, como nós fizemos aqui perto de casa.

get rid of it all! give it away.

In the closet

Bolsas de corrente (vintage do armário da mãe e topshop), sacola da Vivienne Westwood que virou decoração, vestido da Guess.


Aproveitando o trocadilho com o post anterior, eis o primeiro móvel projetado por mim. O investimento foi da minha mãe (obviamente), quando voltei para casa e o meu guarda-roupas da adolescência não comportava mais tudo que comprei na Zara em 5 anos de Floripa, ou na H&M e Topshop em alguns meses de Inglaterra. E deus sabe que quando eu for embora de novo, ela vai poder aproveitar para guardar todos seus finds de outlet (shoppoholismo vem nos genes). Mas se há um motivo pra eu querer ficar… é esse guarda-roupas!

1. O retrato pouco fiel de um artista de rua em Montmartre estava enfiado em uma gaveta. Assim ele fica exposto, porém escondido. (Eu não sou assim torta!)

2. Uma vergonha para uma aspirante a modern accomplished girl e filha da minha mãe, mas minhas roupas não são dobradas todas do mesmo tamanho. I’ll have to work more on that.

3. Todo meu amor para essa gaveta!

As principais coisas levadas em consideração foram:

Gavetas, muitas gavetas. Underwear, cintos, lenços, cachecóis, luvas, biquinis… todos merecem um cantinho pra chamar de seu. E as divisões dispensam as caixas que eu usava para organizar gavetas gigantes.

– Muito espaço para cabides, que é a minha forma preferida de guardar roupas (faltam os cabides iguais, meu sonho a ser realizado). Na porta da direita deixei bastante espaço para guardar vestidos e casacos longos (ali tinha uma prateleira embaixo, que achei inútil e tirei), mas a outra porta ficou com uma altura boa pra isso também.

Mais prateleiras, com uma distância menor entre elas. Assim não preciso fazer pilhas gigantes de roupas, e sim várias pilhas pequenas, que ficam menos bagunçadas.

E last but not least:

Puxadores no meio das portas. Minha mãe demorou para entender esse conceito. Eu usava os puxadores do meu antigo armário para pendurar cabides (e na verdade a ideia era mais para ter onde pendurar roupas para fotografá-las, o que antes me dava bastante trabalho). Agora virou parte da decoração do quarto. Dá pra colocar bolsas, colares, chapéus…

Accomplished

Ok, decidi deixar de ser uma closeted blogger e escrever para o mundo. Chega de blogs secretos em inglês ou com textos ininteligíveis para qualquer ser humano que não possa ler meus pensamentos. Olá, mundo, aqui estou eu! Provavelmente ainda um pouco em inglês, e um pouco ininteligível. But making an effort.

Então vamos lá: este é um filho do meu tumblr (http://accomplishhh.tumblr.com/), inspirado pela eterna Jane Austen, que em seu tempo já ironizava o conceito de Accomplished – ou “prendada”. “A woman must have a through knowledge of music, singing, drawing, dancing, and the modern languages, to deserve the word”, disse a esnobe Miss Bingley. E hoje, what does it take?

foto de Burrs & Berries (clique na foto para ver a galeria)

That’s what I’m trying to get at.

Ter a casa bem decorada, preparar uma janta para os amigos, se vestir bem em todas as ocasiões, ser versada em all things cultural… manter um blog, talvez?